A Professora Gislaine Rocha, uma tarauacaense residente em Rio Branco , relata o drama que está passando juntamente com sua familia, após todos testarem positivo para Covid-19.

De acordo com Gislaine eles não sabem com certeza como iniciou o cliclo de infecção na familia. “Não sabemos quem levou o vírus pra casa dos meus pais. E como temos que dar assistência pra eles, todos os irmãos pegaram e contaminaram seus familiares”, disse a professora.

Abaixo, o texto da professora.

“Dias difíceis temos vivido. Toda a minha família foi infectada pelo maldito corona vírus: pais, irmão, sobrinhos, esposo, filhos e eu. Alguns, os mais jovens, tiveram sintomas brandos. Outros, sintomas de moderados a graves. Imaginem todos adoecendo ao mesmo tempo, sem que uns pudessem dar apoio aos outros, pelo motivo de termos que ficar em isolamento? E meus pais idosos precisando de acompanhamento e assistência constantes? Bem complicado.

No meu caso, fiquei acamada durante duas semanas, além dos dias anteriores ao agravamento dos sintomas: dor de cabeça, dores no corpo, quentura no corpo, calafrios, enjoos, vômito, diarreia, muita tosse, cansaço. Não conseguia comer nada. Graças a Deus não precisei ser internada, mesmo com algumas idas à UPA. Todavia, minha irmã mais velha teve o estado agravado e ainda se encontra hospitalizada, há mais ou menos 15 dias, se recuperando de forma bem lenta.

Tive medo, muito medo. É um vírus desconhecido, que em muitas pessoas se manifesta de forma mais branda, mas em outras, vem para matar. E enquanto estava doente, não tinha certeza se viveria ou morreria. Ou se perderia meus pais, irmãos, enfim… É uma total insegurança. Temos que ser fortes para não entrar em desespero, temos que ter muita fé em Deus, pois só Ele pode nos livrar e proteger.

Muitos estão morrendo, de todas as idades, classes sociais, etnias. O vírus não escolhe ou diferencia pessoas, é totalmente fugaz e traiçoeiro. Tem destruído muitas famílias pelo mundo afora, tem matado sonhos. E os sistemas de saúde entrando em colapso, por não terem como atender a tantas pessoas doentes de COVID 19.

Vale lembrar que ninguém adoece porque quer e ninguém está imune ao vírus. Por isso, as pessoas acometidas pelo vírus precisam de apoio e não de manifestações preconceituosas, de julgamentos.

Infelizmente não podemos nos colocar em uma bolha de proteção. O que podemos fazer é tomar cuidado, priorizar o isolamento social para que tantas pessoas não adoeçam ao mesmo tempo e aumentem as emergências nos hospitais.

Precisamos ficar em casa, se pudermos. Só assim podemos nos proteger e proteger também as pessoas que amamos. Além disso, temos quem pensar nos Profissionais de Saúde, que dedicam e arriscam suas vidas cuidando diretamente das pessoas infectadas.

Quero aproveitar e agradecer todo o apoio recebido dos amigos, todas as manifestações de carinho, palavras de conforto e orações pela minha família. Nós estamos vencendo o vírus, com a graça e misericórdia de Deus. Cantaremos o hino da vitória.

Mas lembre-se: o maldito vírus está nos rondando por todos os lados, é um inimigo invisível.

FAÇAMOS A NOSSA PARTE”!

Gislaine Rocha