Jairo Barbosa para Agora Acre

Representantes de todas as Federações e Associações de Artes Marciais que atuam no Acre elaboraram uma carta aberta ao governador Gladson Cameli(PP), a quem pedem socorro para continuarem existindo. O documento, divulgado pelo presidente da Federação Acreana de Judô, Delfino Júnior, aponta dificuldades enfrentadas durante a pandemia e lista a concessão de benefícios para ajudar os desportistas a atravessarem esse tenebroso período. Uma das reivindicações é o pagamento de auxílio emergêncial por parte do estado para as agremiações.

Veja abaixo a íntegra da carta:

Excelentíssimo Senhor Governador do Estado Acre (Gladson Lima Cameli).
Nesta.

Assunto: Ato Conjunto dos Profissionais de Artes Marciais do Estado do Acre.

Representamos a totalidade dos clubes, núcleos e academias de artes marciais do estado do Acre, com dezenas de professores e centenas de atletas, divididos nas modalidades de Judô, Kung Fu, Jiu-Jitsu, Boxe, Boxe Chinês, Karatê, Luta Livre Esportiva, Taekwondo, Submission Wrestling, Freestyle MMA, Capoeira, Muay-Thai, Kick Boxing, Lutas associadas, K1 e congêneres.
A grande crise provocada pela Pandemia do novo coronavírus obrigou-nos a suspender as aulas e demais atividades esportivas que garantiam o pagamento de despesas como aluguel, luz, água, impostos e taxas, dos estabelecimentos esportivos, bem assim como a manutenção e o sustento de nossos familiares e dependentes.
Sabemos que essa crise sanitária se estenderá por mais alguns meses em nossa região, e que não teremos como suportar sozinhos todos os custos desse isolamento social.
. Considerando que o esporte em geral, e as artes marciais em particular, desempenham papel relevante na sociedade, desenvolvendo valores éticos, morais e de coesão social, e que ao longo de décadas promovem o nome do estado do Acre em todo Brasil, além de algumas competições no exterior.
. Considerando ainda que cabe ao nosso estado assegurar aos cidadãos mais afetados pela crise sanitária as condições mínimas de sobrevivência nesse período de pandemia.
Considerando os mais de dois meses em que o setor esportivo, e especial as artes marciais, estão com suas atividades canceladas ou interrompidas, em função dos decretos e normas de enfrentamento ao coronavírus – Covid-19, perdendo receita e sem acesso aos auxílios emergenciais proporcionados pelo governo. Requeres.
1. A suspensão do pagamento de taxas e água, luz, tributos de qualquer natureza que incidam ou venha a incidir sobre núcleos, academias, clubes e congêneres, que dedicam à pratica de artes marciais.
2. Auxílio emergencial aos profissionais autônomos de artes marciais, (Entidades sem fins econômicos) para que possam garantir sua sobrevivência, (Aluguel, recursos humanos, impostos e outros), que dependem, exclusivamente, deste.
3. A cadeia produtiva do esporte marcial, nesse período crítico em que o mundo enfrenta, com eventos esportivos sendo cancelados, academias, núcleos, centro esportivos fechados, precisa ter um olhar especial e atencioso do Governo do Estado do Acre, é importantíssimo abrir pacotes de incentivos e auxílio emergêncial ao setor.
4. Somente a ciência irá ditar a saída deste momento, acreditando que os eventos esportivos, aulas e outros que promovam a aglomeração de pessoas sejam os últimos a retornarem suas atividades.
5. A realização de campanha de esclarecimento à população interligando a imagem de atletas atuais com destaque nacional em suas modalidades esportivas.
Esperamos assim contar com o apoio de vossa excelência, nesse atendimento coletivo a nossos pleitos.
Saudações esportivas.

Rio Branco Acre, 27 de maio de 2020.

Comissão Coletiva dos Profissionais de Artes Marciais.