Juruá Online

O município de Marechal Thaumaturgo, que conta com quase 18 mil habitantes já registrou mais de 60 pessoas infectadas com Covid-19, desde a confirmação do 1º caso, no dia 11 de maio. Como em outras cidades de difícil acesso, o fator mais preocupante é a falta de profissionais e leitos para atender a demanda. O Prefeito Isaac Pianko declarou sua preocupação em um vídeo, onde relata que o município conta atualmente com apenas dois leitos de Covid e um único médico, que atende na unidade municipal e estadual de saúde.

“Nós precisamos imediatamente ter uma equipe médica em Marechal Thaumaturgo. Só temos um médico, que atende a rede municipal e estadual, fica muito difícil, se ele se contaminar ficaremos sem esse profissional para atender”, contou o prefeito.

O governo do estado vem buscando realizar a contratação de novos profissionais, na última semana divulgou um edital de chamamento público com 54 vagas que seriam distribuídas para os municípios, no entanto  o Tribunal Regional Federal da 1ª Região em Brasília acatou, em caráter liminar, o recurso do Conselho Regional de Medicina (CRM-AC) e da União Federal e mandou suspender a contratação dos profissionais, que discorda da contratação dos profissionais formados no exterior. Atualmente o Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul, é a referência para o atendimento de pacientes graves com a doença.

“A situação está ficando gravíssima, não sabemos mais o que fazer. Pois nossa responsabilidade de fazer o monitoramento, o acompanhamento, o isolamento social, um trabalho mais preventivo. Quando um paciente se agrava tem que se internar, e aqui temos a unidade Mista de responsabilidade do estado, onde tem 10 leitos, e foram disponibilizados dois leitos para Covid-19, e já temos um hospitalizado, e se tivemos outro atingimos a capacidade”, relatou o gestor.

O 1º caso foi registrado no dia 11 de maio, quando um comerciante que fazia compras em Cruzeiro do Sul testou positivo para doença. Em um decreto, o Prefeito da cidade já havia proibido a entrada e saída de pessoas do município, mesmo antes dos primeiros casos.