As pessoas que sofrem de fibromialgia e que têm complicações por causa do lúpus, estão em perigo no Acre, por falta do principal medicamento de uso deles, a hidroxocloroquina. A causa da falta do medicamento tem uma razão, a indesejada chegada do coronavirus. As pessoas forma orientadas a tomar esse remédio contra o vírus e os estoques se esgotaram.
O apelo está sendo feito pela Lene Queiroz, líder voluntária da Anfibro no Acre, a associação de portadores de fibromialgia.
“Gostaria de relatar sobre a falta da medicação Hidroxicloroquina, que segundo relatos de alguns pacientes de Lúpus, já está com mais ou menos três meses que eles não conseguem pegar essa medicação lá no creme. Eles dizem que vai chegar, mais até agora não passa de promessas e nada da medicação chegar. Muitos colegas não tem condições de comprar essa medicação, depois que foi anunciado que essa medicação era eficaz no combate ao covide, várias pessoas que não tem doença nenhuma, saíram desesperadas comprando, e com isso esvaziou das prateleiras das farmácias, e as pessoas que realmente precisam estão sem, caso dos pacientes de Lúpus. Sem falar que quando essa medicação chega nas farmácias não dá pra quem quer, além de tudo o preço é abusivo, principalmente nas farmácias de manipulação.
E os pacientes de Lúpus, necessitam urgentemente dessa medicação pra darem continuidade ao seu tratamento.
Mais uma vez queremos pedir ao governador Gladson Cameli e ao Secretário de Saúde Alysson Bestene, que tomem uma providência, pois não podemos continuar nessa situação, porque enquanto isso os pacientes estão tendo piora no seu estado de saúde pela falta dessa medicação.
Ter acesso a medicação que é distribuída pelo SUS, é um direito de todo paciente, como tmb é um dever do Estado nos garantir a nossa medicação.
Aqui segue 1 orçamento que uma paciente de Lúpus me mandou, ela fez esse orçamento em uma farmácia de manipulação, nesse mês de Junho.
Ela ficou horrorizada com o valor absurdo, e abusivo dessa medicação, segundo ela, no dia 13 de fevereiro, ela pagou nessa mesma medicação o valor de 75,00 reais mais a taxa de entrega, que ficou no valor total de R$ 80,00 reais.
E agora no período da pandemia está esse valor de 426,00”, informou a líder.