* Enoque Brandão

Nos primeiros séculos da Era Cristã, comumente se viam os generais romanos realizarem cortejos triunfais após a vitória sobre seus inimigos, que a partir dali eram tratados como escravos.
Atrás deles, soldados do Exército romano queimavam incensos aromatizantes de modo que toda a cidade ficasse inebriada com o cheiro da triunfal vitória.
Penso que o apóstolo Paulo tinha isso em mente quando afirmou que somos o aroma de Cristo, uma vez que o nosso general de guerra nos faz mais do que vencedores.
A propósito, você não percebe que parece redundante perfumar Aquele de quem temos o aroma? Não acha estranho que alguém possa ungir o Ungido, o Messias de Deus?
Estranho mesmo é ignorá-lo e honrá-lo com os lábios e ter um coração sem qualquer compromisso com Ele?
Você trabalharia o ano inteiro para obter recursos a fim de dar um presente a uma pessoa que nem seu parente é?
Pois foi o que uma pobre mulher fez. Para comprar unguento de nardo puro, o perfume mais caro da época, com o coração cheio de amor, ela esparramou o perfume sobre Jesus.
O vaso de alabastro era usado apenas para ungir reis. Ela adorou o Mestre e reconheceu-o como Rei dos reis.
O que você tem feito por Ele? Em vez de querer apenas Suas bênçãos, por que não vive para Sua glória e louvor?  Ele é o abençoador e ao mesmo tempo nosso tesouro maior e nossa riqueza divinal.
E por que falar de perfume? Simples. Jesus é chamado de Rosa de Sarom e Lírio dos Vales. Assim como o amor é a essência da vida e o perfume é a essência da flor, a qual produz as melhores fragrâncias, o mesmo ocorre com o amado de minha alma. Ele exala um agradável odor e seus seguidores espalham a fragrância dele por toda parte. Cristo é a perfeita essência.
Fico imaginando se jogaram flores no sepulcro de Lázaro. Disso não tenho certeza. O que sei é que a Rosa de Sarom foi até o túmulo e ressuscitou Seu amigo, trouxe-o de volta à vida e deu-lhe propósito e significado. Nada melhor do que ter como amigo Aquele cuja voz acalma o mar e cujo poder o faz conhecer  miríades de estrelas pelo nome.
Algum tempo depois, a Rosa de Sarom foi esmagado na cruz, não sem antes exalar em Seus discípulos Seu suave aroma.
Dizem que quanto mais se espreme e esmaga a flor da camomila, tanto mais doce é o aroma que ela deixa ao redor. Ah! Assim aconteceu com nossa doce Rosa de Sarom. O Salvador, esmagado pelo sofrimento, exalou a Sua fragrância ao Seu redor. São essas pisaduras que fazem de Seu nome um bálsamo derramado.
Já cantávamos alegremente em minha cidade natal, Feijó-Ac, um hino que provavelmente você conhece:
“Já achei uma flor gloriosa, e quem deseja a mesma terá a Rosa de Sarom preciosa, entre mil mais beleza terá.
Você tem essa Rosa no jardim de sua existência? Você exala o mais agradável perfume? Precioso para mim é Jesus. Isso eu confesso na vida e na morte”.

* Enoque Brandão é teólogo, pastor é jornalista